JULGAR É ESQUECER


Através da graça de Jesus deixamos de ser pecadores e nos tornamos santos. Se somos santos é somente por meio desta graça salvadora. Em outras palavras: carecemos dela dia após dia tanto quanto qualquer outro pecador. Eu não sou santo pelo que eu faço; sou santo pelo que Cristo fez por mim. Eu não ando em santidade para ser santo. Eu sou santo, por isso ando em santidade. E tudo isso é pela graça de Jesus. Eu sou tão necessitado da graça quanto você e você é tão carente da misericórdia de Deus quanto eu.


Graça não é uma licença para pecar. É uma licença para viver como Jesus. Contudo, ainda que venhamos a falhar, a graça vem para nos restaurar. Seu erro pode ser diferente do erro do seu próximo, mas o preço pago por seu erro foi o mesmo pago pelo dele: o sangue do Cordeiro, Jesus Cristo.


Nas palavras de Danny Silk (Autor de 'Cultura da Honra'): "Cuidado para não julgar os outros só porque eles tem pecados diferentes dos seus... Devemos ser muito cuidadosos com o preço de julgarmos as outras pessoas. Como Jesus ensinou, o mesmo julgamento que emitimos sobre o pecado da outra pessoa será medido e usado em nós"


Onde eu quero chegar com isso? Quero afirmar que quando perdemos o senso de que nós mesmos somos os que mais necessitamos da misericórdia divina, perdemos também a compaixão para com as pessoas à nossa volta. Julgar e condenar é esquecer; Esquecer que o que nos difere é apenas a forma como pecamos e o que nos iguala é que todos precisamos de salvação. Além disso, quando esquecemos disso, sem percebermos a chama da paixão por Jesus começa a se apagar. É um processo natural.


"Como posso evitar isso Matheus?" Busque em Jesus o entendimento de que seu irmão é tão necessitado da graça quanto você e que você é tão carente da misericórdia quanto ele, vice-versa. E que ambos são profundamente amados e desejados por Deus.


O preço pago foi o mesmo por todos.

Seja para o ladrão, assassino, genocida, estuprador... para o pastor hipócrita ou para aquele que fala mal do pastor hipócrita... Seja para o crente fiel que não peca nunca (existe?), ou para aquele que vive caindo no mesmo pecado sempre... O sacrifício é o mesmo e o preço pago também.


O pecado é justificável? Não. Mas o pecador pode ser justificado pela graça. E contra isso não há argumentos.


Como disse o Ap. Paulo: "Esta é uma palavra fiel, e digna de toda a aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal. Mas por isso alcancei misericórdia, para que em mim, que sou o principal, Jesus Cristo mostrasse toda a sua longanimidade (paciência), para exemplo dos que haviam de crer nele para a vida eterna". (1 Timóteo 1:15,16)


Concluo com o seguinte: Se Paulo era o principal... o que dizer de mim e de você?


Que a graça esteja com todos nós. Amém.



#Relacionamentos #Graça #Amor #VidaCristã

384 visualizações

Email: contato@matheusmelo.com / Whatsapp comercial: (19) 98837-3977   © matheusmelo.com - Todos os direitos reservados - Belém, PA